sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Colapso - Ascensão e queda das sociedades humanas ...

“ As instituições podem minar até as sociedades mais fortes “
( Jared Diamond )
Numa altura, nestes tempos que correm, em que andamos cada vez mais distraídos, em entrevista à Visão desta semana, o Professor Jared Diamond , autor do livro “C0PLAPSO”, recentemente editado pela Gradiva, volta a deixar sérios alertas; eis um excerto da referida entrevista :
P - O que pode levar ao desaparecimento de uma sociedade ?
R- Uma combinação de cinco razões: os danos ambientais, as alterações climáticas, os inimigos, os amigos ou parceiros comerciais e as instituições, sejam políticas, económicas ou religiosas. Comecemos pelo ambiente. Ao longo da História, sociedades que dependiam das árvores acabaram com as florestas para fazer lume e para a construção de casas. Foi o caso do Líbano, de Marrocos, grande fornecedor do Império Romano, ou dos Maias. Quanto ao clima, fala-se hoje muito das alterações causadas pelo Homem, mas elas podem dever-se também a causas naturais. Na Europa, o clima ficou mais frio nos séculos XV e XVI e a Gronelândia não sobreviveu.

P – Há hoje algumas sociedades em risco ?
R – Todas, devido à globalização. Os problemas de uns países passam depressa para os outros. Mas digamos que a Noruega está menos em risco que a Itália, pois é auto-suficiente em petróleo e o Governo preocupa-se com os recursos naturais. E a Nova Guiné usa ainda instrumentos de pedra. Se houver um desastre natural no Ocidente, quem pode fazer instrumentos de pedra. Eles sabem. São dois bons exemplos.

Enfim, uma pequeníssima achega no sentido de (re)colocar a questão

1 comentário:

AVCarvalho disse...

Eis a grande questão que devia preocupar toda a gente e estar presente em todas as tentativas de resolução da crise. Mas a consciência do mundo ainda não foi suficientemente 'desperta', pelos inúmeros fenómenos que vão ocorrendo cada vez com mais frequência, que importaria saber ler e servir de aviso (para além dos casos históricos, como os narrados neste livro) para o que pode na realidade acontecer, caso se mantenha este rumo.
Já comecei a leitura do livro, que é extremamente aliciante, mas como ultimamente me tenho disperso por inúmeras 'inutilidades', ainda pouco passei dos seus capítulos iniciais. O suficiente para perceber que se trata de documento que merecia uma grande divulgação e promoção.