domingo, 22 de fevereiro de 2009

PPC : puto maravilha, ou “figura sinistra" ?..

Hoje, Pedro Paços Coelho (PPC) é "figura" de capa da Pública, onde é entrevistado.
PPC foi – diz ele – uma criança rebelde …
Ficamos a saber que, enquanto adolescente, leu muito; leu – diz ele - muito mais ensaio do que literatura.
Leu Kafka e Sartre; e –diz ele – leu Voltaire muito mais cedo do que Camilo e Eça …
Confessa que não leu Marx. Mas, aos 14 anos – diz ele – leu o Livro Vermelho de Mao Tsetung.
Aos 12 anos – isso mesmo : com uma dúzia de anos – assistiu, na qualidade de observador, a um Congresso da UEC, da União dos Estudantes Comunistas; mas, já e então precoce “visionário”, afastou-se, porquanto – diz ele – “achou o ambiente confrangedor e porque as pessoas eram convidadas a terem todas as mesmas ideias”
Aderiu, então, à JSD por uma questão lúdica dado que só, e mais tarde, é que houve lugar à aproximação ideológica; sobretudo - diz ele – por via da intervenção politica de Sá Carneiro, tendo chegado a Presidente da Jota, da JSD.
Agora, adulto, com 44 anos, o ex-Jota PPC, anda preocupado com a genética do PSD, e apresenta-se como "o Candidato"; à liderança do PPD/PSD e à governança do País.
Pela "amostragem", que todos os Deuses - deste mundo e arredores - nos livrem de semelhante arrivista ...
É que, e em meu entender, este PPC tem tanto de precoce, quanto de plástico !!!

3 comentários:

José M. Sousa disse...

Parece que o Puto maravilha ainda defende a privatização da CGD (segundo Marcelo RS, ontem na RTP)?!!!

Estará ele acordado? Estará ele informado sobre o que se passa pelo mundo? Terá ele lido isto
ou Nationalize the Banks! We're all Swedes Now

A gestão da CGD merece ser criticada, nomeadamente pelo escândalo recente com a Cimpor, mas não perceber que o problema está - não em ser público- mas no facto de o seu accionista, o Estado, abdicar de lhe fornecer directivas claras. Um banco público, nas circunstâncias actuais, é vital, se fôr utilizado para introduzir decência no sistema, e não apenas seguir critérios como qualquer banco privado com práticas usurárias. Tanto assim é, que os liberais Reino Unido e EUA estão finalmente a perceber que a lógica cega do lucro individual e imediato,está a conduzir a uma espiral descendente que pelos vistos, só a nacionalização permitirá deter!

Anónimo disse...

Meu caro,
Este PPCoelho é cá um artista e de primeira apanha e que o diga a sua correligionária, a "tia" Manuela F.Leite, que é constantemente e "democraticamente" ultrapassada por este oportunista que é levado ao colo por certos OCS como se tivesse algo se importante e interessante a debitar.
É de um vazio confrangedor mas é tido e apresentado como uma reserva do PSD. Triste país o nosso ... e viva o Carnaval.
FCA

AVCarvalho disse...

De facto, este produto 'Ângelo Correia' é tão certinho, no porte e no verbo, que até parece de plástico. Como tendem a ser agora os políticos designados da 'nova geração' (como nos computadores). Não fora, por vezes, os excessos e algum desalinhamento do Sócrates, e quase diria que se trata de sósias, na política, no verbo e no porte.
Por enquanto, com uma significativa diferença, pelo menos (trazendo agora aqui o comentário do José Sousa): na 'questão' da Caixa, talvez por razões mais tácticas que de convicção, não estão em sintonia. Mas como o José Sousa diz e bem, até os países mais liberais se preparam para nacionalizar ainda mais - mesmo que o façam a pensar na privatização mais tarde! Mas até lá, muitas cambalhotas o mundo irá dar e quem sabe...