terça-feira, 21 de setembro de 2010

A SIC e os comentadores económicos do costume

Há dias, de tanto ver Medina Carreira na SIC Notícias, tive o atrevimento de escrever ao Mário Crespo o seguinte:

«Caro Mário Crespo

Com o devido respeito, já aborrece a presença de Medina Carreira no seu programa. Para além de já não ser minimamente original, e sem prejuízo de reconhecer a sua seriedade e a validade e pertinência dos seus argumentos, seria mais interessante que de quando em vez ele fosse confrontado com alguém que oferecesse alternativas para além de uma ditadura de supostos iluminados que só percebem de finanças. Este país é pequeno, mas não tanto. Maior diversidade e contraditório seria interessante. Ou então organizem um debate com ele e alguém, igualmente sério, mas com perspectivas distintas.»

Como se vê, não se trata de desvalorizar as análises e os alertas de Medina Carreira. Trata-se sobretudo de discutir saídas para o problema da crise económica. Aqui, manifestamente, Medina Carreira e os outros comentadores residentes do "Plano Inclinado" deixam muito a desejar, como, muito a propósito, assinala Jorge Bateira, economista contribuidor do blogue "Ladrões de Bicicletas". na carta aberta a Mário Crespo que pode ser lida aqui.

4 comentários:

Carlos Borges Sousa disse...

Mais que oportuna esta "carta aberta" do Jorge Bateria a qual, de resto, subscrevo ... por inteiro !!!

José M. Sousa disse...

O e-mail (profissional) do Mário Crespo é: mariocrespo@sic.pt

AVCarvalho disse...

Depois de ler a carta, oportuníssima, que Jorge Bateira, dos ‘ladrões’, endereçou ao ‘isento’ Mário Crespo, a propósito do ‘seu’ Plano Inclinado, tomo agora conhecimento desta, do José de Sousa, sobre o mesmo assunto. Finalmente começa a ganhar peso a chamada de atenção para este obsceno afunilamento mental para onde os media nos empurram, procurando impor como inevitável o recurso ao FMI – o conveniente aval externo que dá cobertura pseudo-técnica a todo o tipo de medidas de extorsão e agravamento das condições de vida das maiorias, para proveito exclusivo de uns poucos. Seja em que versão for, na troglodita e caceteira do Medina Carreira na privada SIC, ou na mais maviosa e franciscana do Camilo Lourenço na pública RTP!
Folgo muito em verificar que o primeiro comentário de apoio ao teor da carta dos ‘ladrões’ é de uma distintíssima economista, Manuela Silva, cujo comportamento é bem diferente – tanto em termos éticos e cívicos, como na isenção e postura científica – da subserviência, indigência e despudorada ganância (quando não mesmo corrupção) que atravessa o ‘medinacarreirismo’.
Afinal, o Medina Carreira (excedendo o Dantas do Almada) não cheira só mal da boca – fede que tresanda!

Rui Tojal disse...

O Medina Carreira é um ignorante em matéria económica. Se ouvirem os comentários dele que estão no You Tube veem-no fazer uma confusão entre taxa de crescimento do PIB e o PIB em si mesmo. Lembo-me de ele dizer em um dos muitos programas em que participou que Portugal produz menos atualmente que no princípio do século.
Enfim, o homem podia não ter conseguido completar o curso de Economia, como não conseguiu, e saber alguma coisa dessa ciência por autodidatismo. Seria estranho, mas hipótese não descartável.
A repetição dosseus erros crassos, porém, tira todas as dúvidas: ele não se formou em Economia porque não tem mesmo jeito para a coisa!